sábado, 22 de janeiro de 2011

Pentecostalismo brasileiro

No Brasil o pentecostalismo chegou em 1910 com a vinda de missionários originários da América do Norte: Louis Francescon, que realizou seu trabalho entre as colônias italianas no sul e sudeste do Brasil, dando origem à Congregação Cristã no Brasil; em 1911 Daniel Berg e Gunnar Vingren iniciaram suas missões na Amazônia e Nordeste, nascendo assim a Assembléia de Deus.
            
O movimento pentecostal pode ser dividido em três ondas. A primeira chamada pentecostalismo clássico, abrange o período de 1910 a 1950 e vai de sua implantação no país, com a fundação da Congregação Cristã no Brasil (São Paulo, 1910) e da Assembléia de Deus (Belém, 1911), até sua difusão pelo território nacional. Desde o início, ambas as igrejas caracterizaram-se pelo anticatolicismo, pela ênfase na crença no Espírito Santo, por um sectarismo radical e por um ascetismo que rejeita os valores do mundo e defende a plenitude da vida moral.
            
A segunda onda começa a surgir na década de 1950, quando chegam a São Paulo dois missionários  norte-americanos da International Church of the Foursquare Gospel. Na capital paulista, eles criam a cruzada nacional de evangelização e, centrados na cura divina, iniciam a evangelização das massas, principalmente pelo rádio, contribuindo bastante para a expansão do pentecostalismo no Brasil. Em seguida fundam a igreja do Evangelho Quadrangular (São Paulo, 1953). No seu rastro, surgem: O Brasil para Cristo (São Paulo, 1955), Igreja Pentecostal Deus é Amor (São Paulo, 1962) e diversas outras menores.
            
A terceira onda, a neopentecostal, tem início na segunda metade dos anos 70. Fundadas por brasileiros, a Igreja Universal do Reino de Deus (Rio de Janeiro, 1977), a Renascer em Cristo (São Paulo, 1986) e a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra (Brasília, 1992) estão entre as principais. Utilizam intensamente a mídia eletrônica e aplicam técnicas de administração empresarial, com uso de marketing, planejamento estatístico, análise de resultados, etc. Algumas delas pregam a Teologia da Prosperidade, pela qual o cristão está destinado à prosperidade terrena, e rejeitam os tradicionais usos e costumes pentecostais.
            
Paralelamente ao pentecostalismo, várias denominações protestantes tradicionais experimentaram movimentos internos, com manifestações pentecostais, assim foram denominados “renovados”, como a Igreja Presbiteriana Renovada, Convenção Batista Nacional, Igreja do Avivamento Bíblico e Igreja Cristã Maranata. A doutrina de renovação do pentecostalismo passou até mesmo as fronteiras do protestantismo, surgindo movimentos de renovação pentecostal católica romana e ortodoxa oriental, como a renovação carismática católica. (PIME).

Carlos Almeida

Referencias:
Monografia: O AVIVAMENTO, O PENTECOSTALISMO E A IGREJA PRESBITERIANA RENOVADA DO BRASIL, Almeida, Carlos A T – Barbosa Ferraz, PR, 2010
PIME - PONTIFICIO INSTITUTO MISSÕES EXTERIORES, Pentecostalismo, Disponível em: www.pime.org.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário