terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Conversando com os jovens II

Seguir a Deus

Para a maior parte dos cristãos, a advertência “seguir a Deus” traz pensamentos de dever, obediência e ministério, mas essas coisas por elas mesmas somente o deixarão cansado, sem vida e amargurado.
           
Quando falo de seguir a Ele, estou me referindo a relacionar-se com sua pessoa; reconhecê-lo e compartilhar com Ele cada experiência; comprometer-se em não se esconder D’Ele ou deixá-lo de fora de algumas áreas da sua vida; ver tudo como sagrado e nada como mundano; permitir que Ele tenha proeminência em cada momento da sua vida, cada pensamento na sua cabeça, cada palavra que provém da sua boca, e cada trabalho que você se esforça em fazer – andar, falar, comer, beber, rir, gritar, trabalhar, jogar bola – experimentando tudo isto Nele, por Ele, para Ele, e acima de tudo COM ELE!
           
Você percebe como você pode fazer qualquer coisa pelas razões erradas? Você pode ter um ministério pela satisfação pessoal ou pela fama que ele pode trazer. Você pode até crescer em conhecimento e piedade pela reputação que isso pode trazer para você entre outros cristãos. Mas é o coração verdadeiro e fiel que busca só estar com Ele apenas por estar com Ele! Sim, meu caro jovem cristão, você pode até desperdiçar momentos preciosos da sua vida no trabalho de ministérios e missões!

Adaptado do texto traduzido do inglês de “Uma palavra aos jovens”, de Paul David Washer.

Um comentário:

  1. Realmente a ideia de seguir a Cristo é vista com muito engano. Acredito que ela é vista de forma superficial, seguir a Cristo é mais, muito mais, do que viver em obediência.

    ResponderExcluir