quarta-feira, 3 de julho de 2013

Caminho estreito, porta estreita...

“Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem. Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores” (Mt 7:13-15). 

Muitos pastores estão dando uma ênfase exagerada e descabida à prosperidade e às necessidades carnais nas suas pregações. Sermões triunfalistas, orações “poderosas”, tudo isso para satisfazer a ânsia desenfreada por abundância material e curas físicas de um rebanho perdido e enganado. 

Com essa atitude, estão transformando suas ovelhas em consumidoras de bênçãos, e assim condenando-as ao destino eterno, não junto do Trono da Graça, mas sim, atolados no lago de fogo, dor e lamentações eternas.

Um dia destes encontrei uma amiga que há muito tempo não a via mais nos bancos da igreja, e ao meu questionamento sobre o porquê desta ausência, ela me respondeu assim – Eu parei de ir nesta igreja porque o pastor não tem “força”, suas orações não são “poderosas”, não “produzem milagres”, acho que ele não tem “unção”, agora estou em busca de uma igreja aonde o pastor tenha unção, eu tô precisando de um milagre em minha vida. – Incrível, não? Mas foi exatamente o que ouvi. 

Assim como ela, existem muitas pessoas pulando de igreja em igreja, de igreja para seitas, de seitas para centros espíritas, e outros malditos lugares, em busca de saciarem esta necessidade por milagres. 

Minha cidade tem menos de 14 mil habitantes, temos duas paróquias da Igreja Católica e oito denominações diferentes de Igrejas Evangélicas, mesmo assim duas igrejas neopentecostais vieram e se instalaram na cidade e tem conseguido um público até considerável nos seus cultos, levando em consideração o tamanho da cidade, é claro. 

O que mais me impressionou, no entanto, foi que o público destes “shoppings centers de milagres” não é composto apenas por evangélicos, tem católico, espírita, umbandista, todos com o objetivo comum de conseguirem o seu milagre.

Nestes shoppings centers, vende-se de tudo: canetas para assinar grandes negócios, chaves para abrir as portas da riqueza, cajados para conduzir boiadas intermináveis, óleo da alegria, etc. Não sei como ainda não começaram a vender a “unção do rei Midas”... ”compre  a unção do Rei Midas e tudo o que você tocar se transformará em ouro”. 

É Preocupante o número de cristão (se é que se pode chama-los assim), enganados por esta mercantilização da fé. Invés de quererem ser como Jesus Cristo, estes assíduos frequentadores dos shoppings centers de milagres, querem ser como os astros da televisão, muitos dos quais, aliás, com caráter e vida, nada cristãos. 

Eu estou preocupado com os pastores que, sentindo medo de ter suas igrejas esvaziadas, estão deixando de pregar sobre o pecado, sobre a necessidade de constante arrependimento. Estão deixando de pregar sobre o caminho estreito e sobre a porta estreita, para pregarem sobre um caminho, o caminho largo que levará todos em direção da porta larga e por fim para as chamas eternas do inferno.
 
Não existe uma terceira via, nossa única esperança é o caminho estreito, a porta estreita. 

Carlos Almeida

Um comentário:

  1. "Não existe uma terceira via, nossa única esperança é o caminho estreito, a porta estreita"

    Muito bom, gostei muito.
    Um abraço, fica com DEUS.

    ResponderExcluir