domingo, 29 de setembro de 2013

Suicídio, por que?, por que?

Em memória do meu amado irmão Júlio Cesar Teixeira de Almeida

Falar sobre suicídio é muito complicado, são tantos tabus que envolvem o assunto que é difícil encontrarmos pessoas falando a respeito. Nas igrejas então, não se ouve nada. Eu mesmo não me lembro de ter gasto um minuto sequer do meu tempo falando sobre suicídio.

O suicídio é algo devastador, o sentimento de culpa que recai sobre os membros da família, se não for bem trabalhado acabará por levar à desestruturação do ambiente familiar e causar danos terríveis. 

No dia 12 de setembro deste ano, como uma bomba detonada por um homem-bomba, o suicídio explodiu as estruturas da minha família, meu irmão Júlio pôs fim à própria vida. 

Não é fácil identificar alguém que esteja pensando em cometer suicídio, além do fato de que geralmente nunca acreditamos que alguém da nossa família possa cometer tal ato violento contra si mesmo, há ainda a confusão dos sinais emitidos, na maioria das vezes não estamos preparados para identificar um comportamento suicida em algum dos nossos familiares. O problema está quase sempre relacionado a transtornos mentais, como depressão e esquizofrenia, e pode se agravar quando a pessoa ainda abusa de álcool e drogas. 

Carlos D’Oliveira, psicoterapeuta e coordenador da Rede Brasileira de Prevenção do suicídio (Rebraps), diz que: “O suicídio é um fenômeno complexo, no sentido de que temos causas previsíveis e imprevisíveis, ou seja, não temos controle de todas as variáveis, são vários elementos que interferem no processo”.

No caso envolvendo meu irmão, cremos que, um quadro de Depressão foi o causador do ato extremo que ele praticou. A depressão é muito complexa e difícil de ser diagnosticada, pois um dos seus principais sintomas pode ser confundido com tristeza, apatia, preguiça, irresponsabilidade e em casos crônicos como fraqueza ou falha de caráter.  

Desemprego, falta de dinheiro, doença na família, separação, perda de um ente querido e etc... Situações  comuns na vida das pessoas, somos atingidos pelos revezes da vida, mas depois voltamos ao normal, já com a pessoa predisposta à depressão, uma situação destas pode joga-la num abismo sem fim, e é justamente assim que a pessoa deprimida se sente. Uma pessoa sem perspectiva de vida, sem amor próprio, pessimista, desanimada que não vê graça em nada a não ser no seu isolamento e luto em vida. 

Que meu irmão Júlio estava deprimido, sem vontade de viver, já sabemos, e acho que não devemos ficar remoendo os fatos que o levaram a este ato extremado, creio que a questão agora é analisarmos a sua situação pós-morte, e o farei analisando a situação do suicida na visão cristã evangélica, que é a qual pertenço, não me importando com a visão das outras denominações, religiões ou seitas. 

A pergunta agora é: “O que acontecerá com o Júlio, por ter ele cometido suicídio?” Analisarei esta pergunta de acordo com a Sagrada Escritura. O suicida viola o sexto mandamento: “Não matarás”, (Êxodo 20:13). O suicídio é considerado um auto-assassinato, atitude que contraria este mandamento. Cabe a Deus decidir quando e como uma pessoa deve morrer. 

As pessoas que dão fim à própria vida fazem isso por várias razões. Somente Deus pode decifrar a complexidade de pensamentos que passa na cabeça da pessoa no momento do suicídio. 

John MacArthur, responde assim à pergunta: “ Pode alguém que comete suicídio ser salva?” – Suicidio é um pecado grave equivalente ao assassinato (Êxodo 20:13; 21:23), mas ele pode ser perdoado como qualquer outro pecado. E as Escrituras claramente dizem que aqueles redimidos por Deus foram perdoados de todos os seus pecados – passado, presente, e futuro (Colossenses 2:13-14). Paulo diz em Romanos 8:38-39 que nada pode nos separar do amor de Deus em Cristo Jesus. Se um verdadeiro Cristão cometer suicídio em um tempo de extrema fraqueza, ele ou ela será recebido no céu (Judas 24).

Na Bíblia temos cinco casos de suicídio, quatro no Velho Testamento e apenas um no Novo Testamento, Judas Iscariotes, o traidor, que se enforcou (Mateus 27:3-5). Um texto bíblico de Lucas chama nossa atenção para a atitude de Judas sob um aspecto espiritual: “Entrou, porém, Satanás em Judas...” (Lc 22:3). Este texto leva ao entendimento que o suicídio também pode ocorrer por possessão, ou por uma poderosa influência do diabo.

Por que? Por que? Perguntamos e não achamos respostas lógicas. 

O Doutor Pablo Martinez Vila, renomado psiquiatra de Barcelona na Espanha, diz que: “quando uma pessoa comete suicido, sob a influência de uma doença mental, como transtorno bipolar, sua vontade e pensamentos estão cegados pela doença. Há uma profunda distorção de percepção da realidade... nos casos mais graves, esta distorção pode ser delirante, o paciente imagina coisas que só existem em sua mente”. 

Sendo assim, ele conclui, “não podemos dizer que há plena consciência do que é feito. É um ato que possivelmente nunca ocorreria em condições normais, fora de uma crise. Prova disso é que, quando uma pessoa com doença mental comete um crime, seja um assalto ou até mesmo um assassinato, a justiça humana atenua ou mesmo anula a responsabilidade do paciente nessas circunstâncias. Se um juiz humano leva isso em conta, quanto mais o nosso Deus, que é o juiz perfeito! Isso realmente traz muito conforto e esperança para aqueles que perderam um ente querido nessas circunstâncias”.

Deus é também um Pai amoroso e misericordioso. Nós não somos super-heróis. Um cristão que luta contra depressão não é mais nem menos cristão do que qualquer outra pessoa. Está na hora das igrejas olharem com outros olhos os portadores de transtornos mentais, quem sabe criar um ministério de apoio a estas pessoas. Como cristãos cremos numa nova vida, então isso deve servir de consolo para enfrentarmos a dor excruciante causada pelo suicídio de um membro querido de nossa família, tal qual o Júlio era. 

Carlos Almeida 

Fontes de Pesquisa: 

- Dicionário Aurélio
- Wikipédia
- Bíblia Sagrada

4 comentários:

  1. Achei o texto magnífico, cheio de sensibilidade. Sinto muito por seu irmão.

    ResponderExcluir
  2. Realmente um assunto bastante difícil de ser tratado. Perder um ente querido nessas condições é muito triste. Que Deus lhe conforte!

    ResponderExcluir
  3. Que triste , nem sei o que falar ou escrever.

    ResponderExcluir
  4. Texto reflexivo e edificante, creio que muitos que acessarem seu espaço sairão daqui meditando nessas sábias palavras.
    O Senhor te abençoe e te guarde!

    Com carinho para o irmão:
    O AMOR DE DEUS POR NÓS!

    Deus ama cada um como filho único,é o amor de Deus que da sentido em continuar seguindo o caminho, mesmo que a tempestade caia sem cessar
    e que a dor seja maior que as forças que temos para sofrer mesmo que a escuridão nos envolva e tente os ventos da injustiça apagar a pequena chama da fé mas no obscuro túnel da vida a luz do amor de Deus brilha sem cessar o amor de Deus transforma a tragédia em triunfo, a maldição em benção o mal em bem.

    O amor de Deus é o único e verdadeiro Caminho, somente o amor de Deus produz frutos aonde nunca se plantou!

    O amor de Deus é paciente,
    tudo espera,
    tudo suporta,
    e jamais se acabará, porque é eterno!!!

    A propósito, caso ainda não esteja seguindo o meu blog deixo aqui o convite, acesse o link abaixo:

    Fruto do Espírito

    Minha Fan Page Fruto do Espírito

    P.S. Convido a conhecer o blog do irmão J.C.de Araújo Jorge.
    Mensagens atuais, algumas polêmicas, porém abençoadoras...
    Acesse e confira:
    Discípulo de Cristo

    Em Cristo,
    ***Lucy***

    ResponderExcluir