sábado, 28 de novembro de 2015

O principal mandamento

“Aproximou-se dele um dos escribas que os tinha ouvido disputar, e sabendo que lhes tinha respondido bem, perguntou-lhe: Qual é o primeiro de todos os mandamentos? E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é: Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes”. (Marcos 12:28-31)

De acordo com Jesus, as Leis de Deus podem ser resumidas em apenas dois mandamentos muito simples: Amar a Deus e ao próximo. Estes dois mandamentos estão no Antigo Testamento em Deuteronômio 6:5 e Levítico 19:18. Quando você ama a Deus completamente, você cuidará do próximo como a si mesmo. Não poderemos nunca, amar o próximo se não amarmos primeiro a Deus, assim agindo você estará cumprindo os Dez Mandamentos e todas as outras Leis de Deus.

Ao ler o texto bíblico com que começo este artigo, o leitor notará, porém, que inclui algo mais, um adendo que nunca vi nas pregações sobre o tema:  “E Jesus respondeu-lhe: O primeiro de todos os mandamentos é” Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único Senhor...”. (Mc 12:29)

Reproduzi esta parte que nunca é citada pelos pregadores e que inclusive nas versões bíblicas que consultei, nem consta nos textos correlatos de Mateus e Lucas, porque tal como no passado, quando Moisés apresentou ao povo de Israel os Dez Mandamentos, se não aprendermos que o nosso Deus é o único e verdadeiro Deus, não poderemos ser o Seu povo. Não importa o quão fielmente seguimos os outros mandamentos. Paulo diz em 1Corintios 8:4: “...que não há outro Deus, senão um só”.

Hoje em dia nós permitimos que muitas coisas se tornem os nossos deuses (dinheiro, fama, trabalho, prazer). É claro que a maioria das pessoas não se posiciona propositalmente com a intenção de adorar estas coisas, mas com o afinco e a dedicação com que nos apegamos, elas se transformarão em deuses que por fim controlarão as nossas vidas. Colocarmos Deus no lugar central de nossas vidas impede que estas coisas tornem-se ídolos.

Precisamos nos prostrar diante de Deus e adorá-lo, dizer o quanto O amamos e o quanto necessitamos dEle. Até porque Ezequiel diz que não somos nossos donos, pertencemos a Deus (Ez 18:4). Aceitando-O como único Deus e Senhor nosso, amando e adorando-O, ai sim estaremos prontos para amar o nosso próximo como a nós mesmo,

Carlos Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário