sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Entrevista: Pastor Clovison Pawelski

Nos últimos meses publiquei muitos textos sobre falsos profetas, mas, de uns tempos para cá, venho observando pelas redes sociais e nas ruas da cidade um jovem pastor que chegou a nossa cidade no ano de 2014. O amor que percebi neste homem pela sua família e pelas suas ovelhas, e o seu conhecimento teológico,  me fizeram refletir,  e a partir desta reflexão resolvi abrir um espaço no Blog da Vida Eterna para mostrar o outro lado da moeda, o lado dos homens que verdadeiramente receberam um chamado de Deus para cumprir uma vocação divina.

É então com muito orgulho que lhes apresento a primeira entrevista do Blog da Vida Eterna, com o Pastor Clovison Pawelski, da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, que  antes de chegar a Barbosa Ferraz em abril de 2014 Já havia pastoreado três Igrejas, em São Geraldo, distrito de Araruna,  Peabiru como pastor auxiliar, e em Ivailândia.

Quem é o Pastor Clovison Pawelski?
Primeiramente quero agradecer pela oportunidade e privilégio de compartilhar minha experiência de vida com os internautas, e agradecer o espaço concedido pelos idealizadores do Blog. Sei que minha experiência é tão comum comparada com outras pessoas, mas ao mesmo tempo tão extraordinária por que cada pessoa é um ser único no tecido da existência.

Nasci no município de Araruna – PR., no ano de 1982, filho de agricultores os quais se tornaram comerciantes a partir de 1992. Trabalhei no comércio da família até o ano 2000, e depois passei por algumas fabricas do município. O curso que tenho é Confessional da Igreja Assembléia de Deus.

O senhor é de berço Evangélico ou se converteu posteriormente?
Não nasci num berço Evangélico, recebi princípios cristãos da minha família Católica, aos quais tentei ser zeloso enquanto Católico. Só tenho a agradecer pois me transmitiram valores, princípios que são importantes até hoje na minha vida. Converti-me à fé Evangélica aos 17 anos de idade, e essa experiência quero compartilhar nas perguntas seguintes.

Quando surgiu o seu chamado para o ministério pastoral e como foi esta experiência?
É muito difícil datar essa chamada, por que desde a infância com os meus 8 anos de idade tinha uma convicção religiosa latente dentro de mim, dizia para os meus pais que queria ser Padre, fui coroinha na pré adolescência, visitei o seminário Católico em Terra Boa – PR., no ano de 1999 com esse desejo. Tive uma experiência de cura com 14 anos, de reumatismo no sangue.

Mas foi no final de 1999 que passei por uma experiência na minha casa que mudou o curso da minha vida, eu sempre fui leitor da Bíblia, e eu havia lido que Jesus batizava com Espírito Santo, e um amigo meu que estava desviado da Igreja me explicou o que isso significava, e comecei orar pedindo pra Jesus me batizar, e uma semana depois por volta das 22:00hrs. numa sexta-feira eu senti que alguém estava no meu quarto enquanto orava, e naquele momento comecei à falar palavras que eu não entendia, as quais eram as Línguas espirituais descritas em Atos dos Apóstolos e nas cartas do Novo Testamento.

No outro dia procurei a Igreja do pai do meu amigo, o qual era o Pastor da época e passei a Fé Evangélica. Mas o desejo pastoral sempre foi parte da minha vida desde a infância.

Como é sua vida em família?
Minha vida em família é perfeita pra mim, não que sejamos perfeitos, mas realmente vai além dos nossos méritos. Casei com 21 anos, minha esposa Andressa Pawelski, com 18 anos, ambos éramos virgens. Ela já era de família evangélica, temos 4 filhos, o João Victor, Matheus, Lorenzo e Kalel Eduardo. Financeiramente temos o necessário, boa saúde física e mental, mas tudo de forma muito normal. Deus colocou no meu coração um ministério voltado pra relacionamentos e tenho certeza que a Palavra de Deus tem me sustentado.


O pastor tem por obrigação ajudar a resolver os problemas dos membros ou isso se aplica apenas ao comportamento cristão?
Acredito que ambos estão intrínsecos um ao outro. Decisões decidem destinos, e o aconselhamento pastoral tem implicações em todas as áreas de uma pessoa. O Conselho é muito poderoso, a pessoa que ouvimos pode determinar nosso futuro. As ferramentas que todo pastor tem é a Palavra de Deus, a Oração e a Fé. Quando falamos em resolver problemas às vezes me frustro por não ter condições humanas pra isso, mas preciso me apoiar nos recursos espirituais. Finalizando, acredito que o Pastor tem obrigação de tentar sem sobrecarregar-se de estar ajudando as pessoas a resolver seus problemas, lembrando que o Pastor também irá precisar de alguém para ajuda-lo.

O senhor pode deixar uma mensagem aos leitores do Blog da Vida Eterna?
Vivemos num mundo materialista, dependemos dele no momento, por mais que a humanidade tente nunca irá resolver seus complexos existenciais, por que somos seres espirituais, e nossos anseios mais profundos são no âmbito espiritual. Deus é Espírito (Jo 4:24), e devemos adorá-lo em espírito. Não basta seguir uma religião você precisa conhecer Jesus, existem muitos religiosos que não conhecem Jesus, estão procurando, mas ainda não encontraram. Então busque Jesus com todo seu coração e você encontrará. Fiquem com Deus.•

Nenhum comentário:

Postar um comentário